Alimentação FuncionalEscolha a fruta ainda Verde!

Escolha a fruta ainda Verde!

Mas afinal quem é que nos disse que para comermos uma banana ela tem de estar amarela e madura? Ou que a papaia para estar no ponto, deve ter uma polpa com coloração alaranjada e uma textura macia? Pelo menos em minha casa sempre foi assim… até descobrir os benefícios do amido resistente.

Pois é… a fruta verde [sim aquela que não compramos a não ser que seja para comer no meio da manhã da semana seguinte] pode trazer-nos vários benefícios. O seu consumo pode fazer toda a diferença na nossa saúde, na nossa imunidade, bem estar intestinal e até ajudar no processo de perda de peso. O que podemos querer mais?

Eu passo a explicar…

Uma das formas de classificar os hidratos de carbono que ingerimos é de acordo com a sua digestibilidade ou rapidez de absorção.

Existem os hidratos de carbono que são rapidamente digeríveis, onde a ação das enzimas começa logo na boca e se estende até o final do intestino delgado, os hidratos que são digeridos de forma lenta, ao longo do intestino delgado e os que não são digeríveis, ou seja, que são considerados resistentes à ação das enzimas.

O amido resistente é um exemplo destes mesmos hidratos de carbono não digeríveis no organismo, exercendo por esse motivo um papel muito semelhante ao da fibra alimentar e que tem sido relacionado a diversos efeitos benéficos para saúde.

Este amido resistente, quando chega ao nosso intestino, é fermentado pelas bactérias benéficas que lá habitam, actuando como um pré-biótico natural. O resultado é uma melhoria da saúde intestinal como um todo, passando pelo equilíbrio do transito intestinal e redução da distensão abdominal, ajudando na prevenção de doenças inflamatórias, inibindo o crescimento de células cancerígenas, contribuindo na regulação dos níveis de açúcar no sangue e ainda melhorando a saciedade. E como os nossos intestinos, muito desvalorizados até há muito pouco tempo, são na verdade um órgão de extrema importância para o nosso equilíbrio global o ideal é tratarmos bem deles assim como dos milhões de bactérias que lá conseguimos encontrar.

O amido resistente pode ser encontrado na em frutas ainda verdes [literalmente não maduras] como o caso da banana verde, da papaia verde e da manga verde. Mas não só. Acho que vão ficar surpreendidos ao saberem que a batata e o arroz também podem ser fonte de amido resistente, só precisarão de aplicar um pequeno truque que vos desvendo no final do artigo.

Para conseguir comprar estas frutas ainda bem verdes, nem sempre é fácil. Ou temos a sorte de alguém se ter enganado e ter exposto fruta verde nas prateleiras dos supermercados, ou então o ideal será terem um contacto de maior proximidade com o comércio local da vossa zona e pedirem diretamente ao senhor da frutaria ou da mercearia do vosso bairro. É assim que me desenrasco com mais facilidade. A primeira vez que pedi manga e papaia verde o senhor achou que era louca e perguntou-me várias vezes se iria comer mesmo [mesmo] assim.

Garanti que sim e que depois de preparar a receita lhe levaria para provar, para perceber o que andava a perder!

Estas frutas quando ainda não estão maduras, além de possuírem uma maior quantidade de amido resistente na sua composição, também possuem uma maior concentração de algumas vitaminas e minerais, assim como um índice glicémico consideravelmente inferior. Ao amadurecerem o amido resistente transforma-se em açúcar, tornando o seu sabor mais adocicado, aumentando a rapidez e facilidade de absorção, elevando o índice glicémico e obviamente, deixando de apresentar os benefícios assinalados.

No entanto não se esqueçam que apesar destas frutas serem benéficas, elas não devem ser consumidas em exagero [como tudo na nutrição] pois o excesso também pode causar desconforto gastrointestinal. Moderação e equilíbrio são e serão sempre a palavra de ordem.

Além das frutas verdes, outros alimentos como a batata e o arroz podem aumentar o seu teor em amido resistente depois de serem cozidos e resfriados. Este processo é chamado de retrogradação do amido e ocorre quando o amido perde a sua estrutura original depois de cozidos e portanto sujeitos a temperaturas altas, adquirindo posteriormente uma nova conformação após o seu arrefecimento. Essa nova conformação é resistente à digestão enzimática e, como tal também confere os mesmos benefícios à saúde.

São dicas muito simples, que nos podem ajudar a variar nos alimentos, nos acompanhamentos e a inovar na cozinha. Porque não experimentam algumas das minhas receitas ricas em amido resistente?

Vê como preparar biomassa de banana verde AQUI e diversas saladas mega apetitosas com manga e papaia bem verdinhas AQUI

Conteúdo selecionado para a campanha sobre sustentabilidade e vida saudável publicada no blog em Português da editora educativa Twinkl.

Segue-me no Instagram @NutricionistaLillian 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

×